Conheça-me | Vereador Célio Moreira

Célio Moreira da Silva

159155 - Deputado Estadual

Conheça-me

Célio Moreira da Silva nasceu em Nazário, Goiás, no dia 7 de abril de 1963. Sindicalista e político mineiro, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em 2004. Elegeu-se vereador de Uberlândia para os mandatos 2001-2004 e 2009-2012. Em 1992, desempenhando o papel de diretor, substituiu o então presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Uberlândia e Região (Sindttrans), cargo para o qual foi eleito em 1994. Desde então, tem sido reconduzido à função pelo voto da categoria. Atualmente é diretor da Federação dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário no Estado de Minas Gerais, a Fettrominas, e presidente do PMDB sindical de Minas Gerais.

Segundo filho de uma família de dez irmãos, Célio Moreira da Silva começou a trabalhar ainda criança. Aos sete anos, estudava e trabalhava como engraxate e vendedor ambulante. Aos 15 anos, perdeu o pai, Benício da Silva, vítima de um acidente de trabalho. Era o ano de 1979 e Célio, já morando em Itumbiara, conseguiu um emprego de cobrador numa empresa que fazia a linha para a cidade de Rio Verde. Foi seu primeiro trabalho com carteira assinada. Aos dezoito anos, motorista habilitado, foi trabalhar em Porto Velho, onde ajudou a construir a BR- 364 que liga Cuiabá a Rio Branco, no Acre.

Três anos depois, voltou à região com o propósito de construir uma carreira e ajudar a família. Em Uberlândia, empregou-se como motorista do transporte coletivo urbano e, nas horas vagas, fazia bicos como eletricista. Nesse mesmo período, começou a freqüentar as assembleias do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte. O jovem motorista não tinha dúvidas sobre a importância da classe no contexto da produção capitalista e sabia como defender suas ideias. O papel de líder sindical foi se consolidando naturalmente, tanto pelo destemor ao enfrentar a classe patronal nas difíceis campanhas salariais, como pela liderança nata.

Do emprego de motorista de ônibus a vereador no segundo mandato e diretor da Federação dos Trabalhadores no Transporte, se passaram 24 anos. Nessas duas décadas e meia, Célio se tornou uma das mais influentes lideranças do movimento sindical brasileiro. Os acordos salariais e os benefícios que conquistou para o setor de cargas à frente do Sindicato de Uberlândia e Região estão longe de serem alcançados na maioria dos Estados brasileiros.

Das várias metas que visa, Célio possui um projeto pessoal desde criança: pretende formar-se no curso de Direito. “Já comecei a fazer, mas parei por falta de tempo. Quero voltar e conquistar o diploma de advogado”, diz determinado.

Como líder sindical atuante, Célio Moreira da Silva tem contribuído para melhorar as condições de vida do trabalhador do setor de transporte, não só por meio dos acordos bem sucedidos, como também pela defesa persistente dos direitos conquistados em lutas históricas. Foi assim com a revisão dos benefícios pagos a aposentados e pensionistas do setor de transporte no período de fevereiro de 1994 a março de 1997. Até o momento, 130 pessoas receberam do INSS, mais de um milhão de reais pela correção salarial.

Célio Moreira da Silva acompanha atento a tramitação no Congresso do projeto de lei  99/2007, de autoria do deputado Tarcísio Zimmermann (PT/RS), que garante o pagamento de adicional de periculosidade ao motorista em atividade, no valor mínimo de 30% da sua remuneração mensal e assegura o direito à aposentadoria especial após vinte e cinco anos de efetivo exercício na atividade. A excessiva carga horária imposta aos caminhoneiros é outra bandeira de luta do sindicalista que reivindica a aprovação da PEC 231/95, que tramita no Congresso Nacional e determina a reduz a jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução salarial.

A “Lei do Caminhoneiro” , criada por Célio Moreira da Silva, está para ser votada na Câmara Municipal de Uberlândia. O projeto de lei exige segurança e conforto para os  caminhoneiros enquanto aguardam na fila a carga e descarga das mercadorias. Nele, as empresas embarcadoras são obrigadas a criar alojamentos com banheiro, cama e cozinha para homens e mulheres que trabalham como motoristas e, esperam horas e até dias para que seus caminhões sejam carregados. O propósito do projeto de lei é, além de propiciar conforto, reduzir os prejuízos do caminhoneiro, que perdem tempo nas demoradas filas, e também os acidentes envolvendo motoristas que abusam de remédios para manterem-se acordados ao volante.

A duplicação da BR-050, no trecho próximo à ponte do Rio Araguari, nas proximidades de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, é uma bandeira antiga dos trabalhadores do Transporte Rodoviário da região. Realizada, a obra trouxe uma dor de cabeça inesperada para a categoria e para os motoristas que transitam na rodovia regularmente. O traçado da rodovia nas proximidades da ponte possui várias curvas fechadas, causa de frequentes acidentes graves. Eleito deputado estadual,  Célio Moreira da Silva  vai  cobrar com insistência correções na obra que já matou vários colegas de profissão.

Após varias audiências com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, hoje candidato ao Governo de Minas Gerais, o sindicalista e vereador Célio Moreira da Silva obteve mais uma conquista para o trabalharor: a implantação de 10 telecentros, equipados com os mais modernos computadores, em 10 entidades de Minas Gerais.  A capacitação por meio de cursos profissionalizantes, como a informática, vem sendo oferecida aos trabalhadores do Transporte, em Uberlândia, desde 1999, quando também teve início o Telecurso para o Ensino Fundamental e Médio. Além da educação formal, a categoria e parentes próximos  tem acesso a  Plano de Saúde e Atendimento Odontológico. No Estado, cerca de 320 mil  famílias recebem o benefício garantido por meio de muita negociação nos acordos coletivos.