Acidentes de trânsito no Brasil – Célio Moreira aponta as consequências e o impacto deles na sociedade | Vereador Célio Moreira

Acidentes de trânsito no Brasil – Célio Moreira aponta as consequências e o impacto deles na sociedade

“O excesso de jornada de trabalho e as longas distâncias percorridas pelos caminhoneiros são os fatores que mais contribuem para a incidência de acidentes envolvendo caminhões nas rodovias brasileiras”. Esse comentário do vereador Célio Moreira é apenas uma parte do discurso que tem proferido como representante da Força Sindical no Grupo de Trabalho (GT) do Estatuto do Motorista da Comissão de Direitos Humanos do Senado, durante as audiências que estão sendo realizadas nas principais cidades brasileiras para debater a elaboração do Estatuto do Motorista.

De acordo com Célio, o elevado número de acidente com veículos nos grandes centros e nas rodovias acarretam grande impacto na sociedade através de danos pessoais, materiais e sociais. “Segundo dados da confederação Nacional de Transportes, o Brasil possui aproximadamente dois milhões de caminhoneiros, dos quais mais de 50% trabalham sete dias por semana, mais de 15 horas por dia. Aproximadamente 60% rodam mais de 5 mil quilômetros e mais de 30% dirigem 10 mil quilômetros por mês”, frisa.

As consequências e o impacto na sociedade:

Tendo como fonte oficial o estudo “Impactos sociais e econômicos dos acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras” – Relatório Executivo – Brasília: IPEA/Denatran/ANTP, 2006 – estes são os principais pontos do discurso de Célio Moreira:

Custo do atendimento pré-hospitalar: atendimento da vítima por unidades dotadas de equipamentos especiais, com veículos e profissionais especializados (ambulâncias, bombeiros, médicos, etc.).

Custo do atendimento hospitalar: soma dos custos do atendimento médico hospitalar do paciente não internado e do paciente internado na Unidade de Terapia Intensiva e/ou Enfermaria.

Custo pós-hospitalar: a soma dos custos com reabilitação, para os casos de seqüela temporária ou definitiva, com procedimentos, medicamentos, transporte, equipamentos e outros.

Custo da perda de produção: é o custo correspondente às perdas econômicas das vítimas de acidente que, em decorrência da interrupção das suas atividades produtivas, deixam de gerar renda e produção ao sistema econômico.

Custo de remoção/translado: custo de remoção da vítima fatal ao Instituto Médico Legal (IML); e custo de translado — terrestre ou aéreo — da vítima fatal do IML/hospital ao local do funeral.

Gasto previdenciário: é a soma dos custos incorridos: 1) à empresa, relativos ao valor da previdência, pago por ela, em um período de até 15 dias de afastamento do trabalho em decorrência de um acidente de trânsito; 2) sobre a previdência social, em virtude do afastamento, temporário ou definitivo, do trabalhador em decorrência de um acidente de trânsito; e 3) sobre as seguradoras — seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via terrestre).

Custo dos danos materiais aos veículos: custo de recuperação dos veículos danificados em acidentes de trânsito.

Custo de perda de carga: o custo de avaria da carga que estava no veículo envolvido em acidente.

Custo de remoção/pátio: custo de remoção do veículo e diárias de pátio de armazenamento.

Custo de reposição: despesa incorrida pela substituição do veículo, no período em que ele ficou sem condições de uso.

Custo de processos judiciais: custo do funcionamento da estrutura judicial em função do atendimento às questões referentes aos acidentes de trânsito.

Custo do atendimento policial: soma dos custos do tempo dos policiais rodoviários, da utilização de veículos para atendimento no local do acidente e do deslocamento para hospital ou delegacia.

Custo dos danos à propriedade pública: custo de reposição/recuperação de mobiliário ou equipamentos danificados ou destruídos em função de acidentes nas rodovias.

Custo dos danos à propriedade privada: custo de recuperação de propriedades particulares danificadas em função de acidentes de trânsito.

Últimas notícias:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>